segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Revista Digital dos "CATEQUISTAS UNIDOS"

Sou catequista blogueira desde 2009. Nessa caminhada conheci pessoas lindas, catequistas que assim como eu descobriu nessa ferramenta, o blog, uma maneira de partilhar a paixão pela catequese, animando catequistas do Brasil inteiro. Foi criado o grupo dos "Catequistas Unidos". O Espírito Santo é sempre inovador, criativo, sempre nos cutucando, nos convidando a irmos para águas mais profundas. Dóceis a esse espírito que não nos quer estagnados, iniciamos mais este trabalho, a Revista Digital, que tem como objetivo chegar ao coração de muitos e muitos catequistas. 
Nesse primeira edição partilho minha experiência com o encontro de catequese sobre finados, realizado no cemitério! 
Acesse, seguindo os links citados abaixo e veja na íntegra toda revista que foi feita com carinho pra você!
Divulgue, nos ajude com sugestões!
Imaculada Cintra - Franca-SP


Queridos irmãos e irmãs, a Paz de Cristo!


É com grande alegria que apresentamos a mais nova ferramenta de comunicação para os Catequistas: A Revista Digital dos Catequistas Unidos!

Este está sendo um projeto pensado com bastante carinho, buscando aproximar ainda mais os Catequistas na internet que buscam aprofundar seus conhecimentos e também compartilhar suas experiências na vida pastoral.

A cada mês, será uma nova edição com conteúdo formativo e informativo, preparado por Catequistas que vivenciam o dia-a-dia da Iniciação à Vida Cristã.

Você gostou do nosso projeto? Quer fazer parte dele? Converse conosco através dos contatos abaixo e junte-se a nós!

Site: http://catequistasunidos.wixsite.com/catequistasunidos

Fanpage: https://www.facebook.com/catequistas.unidos/

Um fraterno abraço!

Equipe Catequistas Unidos

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Mensagem ao catequistas do Brasil!

 Querido Irmão, querida Irmã Catequista,
 
Transcorrerá no dia 27 de agosto de 2017 o Dia do Catequista. Como o tempo parece muito veloz escrever-lhe outra vez pode até parecer apenas um hábito que se repete a cada ano. Mas se lançarmos um olhar às tantas experiências catequéticas de amor, de dor, de cruz e de vitórias, então as lembranças conferem sentido a estas linhas. Esta carta, além de uma palavra de gratidão em nome dos Bispos do Brasil, quer lhe encorajar à perseverança
.
Lembra daquele catequizando(a) repleto de muitas carências, que esboçou um sorriso tímido ao receber seu gesto de ternura de catequista? É bem possível que a Catequese seja um dos poucos ambientes em que alguém lhe manifestou afeto. E Você Catequista estava lá para amar aquele(a) que Deus queria abraçar. Nem Deus nem o catequizando vão esquecer. Se por um lado houve caminhos espinhosos, por outro, quão belas devem ter sido aquelas experiências de amor gratuito!!

Enquanto escrevo recordo a página de um excelente catequista de outros tempos. Refiro-me ao evangelista Mateus. Em Mt 14,14 ele destacou que “Jesus, ao ver a grande multidão, sentiu compaixão...”. Instantes depois os discípulos, preocupados com suas próprias impossibilidades, ouviram do seu Senhor: “Dai-lhes vós mesmos de comer...”. Eles perceberam que lhes faltava quase tudo. “Só temos cinco pães e dois peixes”. Ainda outros instantes e eis aqueles que tinham “só cinco pães” a oferecer da imensa generosidade amorosa do Senhor. O evangelista com sensibilidade catequética completou: “Ele deu aos discípulos, e os discípulos às multidões” (14,19).

Façamos agora um pequeno exercício de imaginação. Vamos recordar quão grandes são as necessidades das nossas comunidades, dos nossos catequizandos, das suas famílias... Mais um passo e agora pensemos nas nossas pequenezas. Se o Senhor Jesus estiver por perto, falemos-lhe sobre “Só o que temos...”. O que ouviríamos? Ele aguarda nossa palavra. E eles, os catequizandos, como que a nos olhar, também estão a observar nossos gestos.

Não precisamos oferecer do que não temos. Mas do que o Senhor tem a nos dar, dos seus dons, destes podemos transbordar. Vale lembrar que “Ele deu aos discípulos, e os discípulos às multidões”. Quando as forças faltarem, se as motivações diminuírem, se as desilusões lhe cansarem... entre tantas vozes, escolha a voz do Senhor. Ouça-o. Ele não deixará os seus escolhidos sem respostas. Como no caso dos discípulos, não lhes tirou nada, e lhes deu tudo.

Em nome da CNBB, que representa os Bispos do Brasil, com muita afeição quero manifestar às centenas de milhares de Catequistas do Brasil as mais fortes palavras de gratidão. Que Deus lhes multiplique em bênçãos pela grande Bênção que são à nossa Igreja. 
Dom José Antonio Peruzzo

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Proposta de Celebração para o Dia do Catequista, 27 de agosto


A Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Biblico-Catequética publica a proposta de Celebração para o Dia do Catequista, dia 27 de agosto, elaborada pelo padre Thiago Faccini Paro e por Eurivaldo Ferreira.

 Foto: catequistas Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Capelinha)
Franca/SP

Buscando integrar catequese e liturgia, propomos para a celebração do dia do catequista deste ano, um roteiro baseado no Oficio Divino (Liturgia das Horas). Mais que um momento repleto de “alegorias”, queremos resgatar a nobre simplicidade, o silêncio, a centralidade da Palavra de Deus e a ritualidade, elementos fundamentais da liturgia cristã.

Esta é oração do povo de Deus, vivenciada por palavras e gestos, situada na grande tradição litúrgica da Igreja, na qual as comunidades cristãs se reúnem para cantar os salmos e proclamar o louvor de Deus, em nome de toda criação e da humanidade, nas diferentes horas do dia.

Portanto, uma celebração simples, mas que requer uma preparação cuidadosa, desde a organização do espaço celebrativo, a distribuição dos vários ministérios atuantes na celebração (coordenador(a) – aquele(a) que irá presidir a celebração; leitor; equipe de canto e música; os que acolhem os irmãos e irmãs, etc), o ensaio dos cantos e a participação ritual de maneira consciente, realizada com a “inteireza” do ser.

Preparando o ambiente: o local da celebração poderá ter ao centro um ambão, círio pascal, flores, cadeira para quem irá presidir o ofício; ao lado do círio pode ser colocada uma bacia (ou pia) de água benta, que pode ser aspergida sobre a assembleia logo após a recordação da vida. A assembleia poderá ser disposta de forma circular ao redor da mesa da Palavra. Um tecido colorido ou colcha de retalhos poderá ser estendida a sua frente para serem colocados os símbolos que representem a caminhada dos catequistas.

Saudação inicial, no jeito de cada grupo, a partir de sua cultura. O(a) coordenador(a) cumprimenta os irmãos e irmãs, convida o grupo a se apresentar e a entrar na oração, por um momento de silêncio, para depois invocar a presença do Senhor. Para motivar o silêncio, pode-se cantar um refrão meditativo.

1. CHEGADA, SILÊNCIO, ORAÇÃO PESSOAL... Refrão meditativo (Pe. Zezinho):
Meu espírito está, meu espírito está em sintonia com meu Deus!
Meu espírito está, meu espírito está em sintonia com o Pai!

2. ABERTURA: (Quem preside canta os versos a seguir; a assembleia responde, repetindo)
- Venham, ó nações, ao Senhor cantar! (bis)
Ao Deus do universo venham festejar! (bis)
- Seu amor por nós firme para sempre, (bis)
Sua fidelidade dura eternamente. (bis)
- Quem no Evangelho firme acreditar (bis)
Do Reino é convidado a participar. (bis)
- Com os(as) catequistas juntos(as) na oração, (bis)
Todo o povo de Deus faz sua louvação! (bis)
Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espírito, (bis)
Glória à Trindade santa, glória ao Deus bendito! (bis)
- Aleluia, irmãos! Aleluia, irmãs! (bis)
Do povo em caminhada a Deus louvação! (bis)
- Vem, ó Santo Espírito, iluminar, (bis)
Este nosso encontro vem abençoar. (bis)

3. RECORDAÇÃO DA VIDA
O(a) coordenador(a) sugere um breve momento de recordação da vida (destacando os acontecimentos importantes, fatos e memórias da caminhada dos catequistas na vida da comunidade, da região ou da diocese). Este momento poderá ser valorizado com a entrada de alguns símbolos que ilustrem o serviço dos catequistas. Ao final, todos cantam o Hino.

4. HINO:
A nós descei, divina luz!
A nós descei, divina luz!
Em nossas almas acendei
O amor, o amor de Jesus! (bis)
1a.Vinde, Santo Espírito
e do céu mandai
luminoso raio! (bis)
b. Vinde, Pai dos pobres,
Doador dos dons,
Luz dos corações! (bis)
c. Grande defensor,
em nós habitai
e nos confortai! (bis)
d. Na fadiga pouso,
no ardor brandura
e na dor ternura. (bis)
3a. Aos fiéis, que oram
com vibrantes sons,
dai os sete dons! (bis)
b. Dai virtude e prêmio
e no fim dos dias
eterna alegria! (bis)
c. Aleluia! Aleluia!
2a.Ó luz venturosa,
divinais clarões
encham os corações! (bis)
b. Sem um tal poder,
em qualquer vivente,
nada há de inocente! (bis)
c. Lavai o impuro
e regai o seco,
sarai o enfermo! (bis)
d. Dobrai a dureza,
aquecei o frio,
livrai do desvio! (bis)
Aleluia! (bis)
Aleluia! Aleluia!
Aleluia! (bis)

5. SALMO 8
(Quem coordena, introduz o canto do salmo com as palavras abaixo; o salmo pode ser cantado alternando a assembleia em dois coros. Havendo a possibilidade, pode-se optar por outro salmo, conforme o Ofício Divino das Comunidades)
“Eu digo a vocês: Se eles se calarem, as pedras gritarão” (Lc 19,40)
Cantemos a grandeza de Deus e a dignidade imensa que ele deu à pessoa humana. Adoremos o Cristo ressuscitado, imagem da nova humanidade, Senhor do universo.
1. Teu nome, é Senhor, maravilhoso,
Por todo o universo conhecido;
O céu manifesta a tua glória,
Com teu resplendor é revestido.
2. Até por crianças pequeninas
Perfeito louvor te é cantado;
É força que barra o inimigo;
Reduz ao silêncio o adversário.
3. Olhando este céu que modelaste,
A lua e as estrelas a conter;
Que é, ó Senhor, o ser humano
Pra tanto cuidado merecer?
4. A um Deus semelhante o fizeste,
Coroado de glória e de valor;
De ti recebeu poder e força
De tudo vencer e ser senhor.
5. Dos bois, das ovelhas nos currais,
Das feras que vivem pelas matas;
Dos peixes do mar, dos passarinhos,
De tudo o que corta o ar e as águas.
(repetir a estrofe 1 antes de cantar a estrofe 6)
6. A ti seja dada toda a glória,
Deus, fonte de vida e verdade,
Amor maternal que rege a História,
Vem, fica pra sempre ao nosso lado.
(por alguns instantes meditar em silêncio com as palavras do salmo; pode-se dizer em voz alta aquelas que mais tocaram o coração durante o canto)

Oração sálmica:
(quem coordena, conclui este momento com a oração)
Oremos! Ó Deus, que és louvado por todas as criaturas e conduz a história, olha para tua criação e faze com que ela manifeste a tua glória e esplendor, assim como tu te manifestas no dia de hoje. Não deixes que a obra de tua criação seja corrompida, mas sim possa ela ser cuidada amorosamente. Por Jesus Cristo, teu Filho, nosso irmão. Amém!

6. LEITURA BÍBLICA (se for o Evangelho, canta-se o Aleluia para aclamá-lo; optando-se por outra leitura bíblica, após a leitura, canta-se um refrão meditativo ou um salmo responsorial)
Aclamação ao Evangelho:
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia!
- Eu te louvo, ó Pai santo, Deus do céu, Senhor da terra,
Os mistérios do teu Reino aos pequenos, Pai, revelas!
Evangelho: (Mt 16,13-20) ou outro à escolha
O Senhor esteja com vocês!
Ele está no meio de nós!
Proclamação + do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
Glória a vós, Senhor!
Naquele tempo...
- Palavra da salvação!
Glória a vós, Senhor!
(Quem coordena, poderá fazer uma breve reflexão a partir do texto bíblico proclamado, e depois, abrir para que os demais catequistas possam também partilhar da Palavra. Em seguida convida a todos a elevar as preces e louvores ao Deus que nos chamou)

7. PRECES
- Renova, Senhor, a tua Igreja, na força do Evangelho, e torna-a capaz de acolher, na ternura do teu Espírito todas as pessoas que te procuram.
Santifica teu povo, Senhor!
- Conduz os(as) catequistas para que, sendo ministros da Palavra na comunidade, possam testemunhar o Evangelho ao educar na fé os adultos, os jovens e as crianças que desejam aproximar-se da tua Igreja.
- Fortaleça os que estão no processo de Iniciação à Vida Cristã, para que compreendendo a Palavra do Evangelho, testemunhem no mundo as maravilhas do seguimento do Cristo.
- Guia o ministério dos(as) catequistas na comunhão eclesial, fazendo-os sinal na ação evangelizadora da Igreja.
- Torna-nos Senhor, capazes de crer no mistério da Cruz do teu Filho e faze com que, olhando para ela, tenhamos a coragem de morrermos por uma causa.
- Ilumina-nos para que sempre saibamos as razões de nossa esperança e sejamos vigilantes à espera do dia luminoso da tua vinda.
- Dá saúde aos que estão doentes e se encontram nos leitos dos hospitais; dá conforto aos que estão de luto e aos que estão na solidão e no abandono; ilumina com teu Espírito os que se encontram na escuridão dos vícios e das drogas.
Como irmãos e irmãs na mesma fé, rezemos juntos a oração que Jesus nos ensinou
Pai nosso...
Oração (quem coordena, conclui com a oração abaixo, invoca a benção de Deus e encerra a oração)
Ó Deus da sabedoria, derrama sobre nós a luz do teu Espírito. Inspira nossas palavras e conduze nossas ações, para que a tua Palavra nos encontre atentos e disponíveis. Faze-nos testemunhas da tua salvação e da tua paz! Nós te pedimos, por Jesus Cristo, teu Filho, por ele anunciamos a força do Evangelho aos pequeninos, na unidade do Espírito Santo. Amém.

8. BÊNÇÃO
Deus, o Pai, nos sustente na caminhada do Reino! Amém!
O Filho de Deus, Jesus Cristo, nos dê a graça de vivermos em comunhão com seu Evangelho! Amém!
O Espírito Santo, força que nos encoraja na fé, nos mantenha no serviço da Palavra! Amém!
Abençoe-nos o Deus todo amoroso, Pai, Filho e Espírito Santo! Amém!
Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!
- Para sempre seja louvado!

9. CANTO FINAL E ENCERRAMENTO
(dependendo do lugar e do grupo, pode-se encerrar a celebração com um momento festivo: partilha de alimentos, dança em forma de ciranda ou outro jeito bem criativo de festejar o serviço dos(as) catequistas na comunidade)